RIOS 2018

Conheça os elementos do nosso júri

Terminadas as candidaturas, é altura de começarmos a visualização dos filmes enviados. Os escolhidos serão devidamente anunciados dentro de alguns dias. Até lá, fique a conhecer melhor os elementos do nosso júri internacional. Temos algumas novidades, mas também caras já bem conhecidas do nosso público!

Rita Capucho 
Licenciada, Mestre e Doutoranda em Estudos Artísticos, com especialização em Estudos Fílmicos e da Imagem, foi jurada em vários festivais de cinema nacionais e internacionais.
Foi uma das organizadoras do São Tomé Festfilm e uma das fundadoras da AVANCA | CINEMA – Conferência Internacional Cinema – Arte, Tecnologia, Comunicação e do International Journal of Cinema.
Atuou como programadora do Cinema Dolce Vita Ovar, das “Quintas de Cinema” do Cine-Teatro de Estarreja e de “Os Filmes das Nossas Terças” no Teatro Aveirense.
Atualmente, desempenha funções de produtora e programadora e é Co-Directora do Porto Femme – Festival Internacional de Cinema e programadora das Porto Femme Sessions.

João Antunes
Com formação em Economia, iniciou a sua carreira no mundo do Cinema ainda na Universidade, onde formou um Cineclube. Integrou a Cinemateca Portuguesa, dirigiu e editou dois números da revista “Cinematógrafo” e redigiu para inúmeros jornais e revistas. Hoje, escreve para o Jornal de Notícias.
Foi professor de História do Cinema na Universidade Moderna e programador, comissário e conferencista de Mostras do Cinema português em acontecimentos internacionais.
Membro da Federação Internacional da Imprensa de Cinema (FIPRESCI), é autor de vários livros sobre a sétima arte, como “Melhores Filmes, Melhores Cineastas”, “À Conversa com os Senhores dos Anéis” e “MOTEL/X 10 Anos de Terror”.
Atuou como Jurado em vários festivais de Cinema, em Portugal e no exterior. Foi, ainda, diretor artístico de “Jours Intranquilles” e acompanhou Latifa Said durante toda a produção de “Terrain Vague”. Em 2016, assina “Jours Intranquilles” como diretor artístico.

Manuel Fernando da Costa e Silva
Licenciado e Doutorando em Cinema Audiovisual, é professor na Escola Superior Artística do Porto (ESAP) há três décadas.
Publicou vários textos em revistas e atas de congressos internacionais na área do cinema e lecionou em universidades de inúmeros países. 
Foi jurado do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), entre 2005 e 2017. Exerceu serviços de Júri em vários festivais de cinema nacionais e internacionais, em países como Portugal, Sérvia, Espanha, Roménia, Ucrânia, Marrocos, Itália e Rússia. É, ainda, Diretor e programador da Mostra Internacional de Filmes de Escolas de Cinema (MIFEC).
Como realizador de Cinema, assina as seguintes obras: “O REGRESSO DO HOMEM QUE NÃO GOSTAVA SAIR DE CASA”, ficção, 1996 | “A PRIMEIRA VEZ”, ficção, 2000 | “UM TEMPO REENCONTRADO”, documentário, 2003 | “1111”, ficção, 2011 | “MORRER POR AMOR”, documentário, 2017-18 (em produção)

Reza Hajipour
Estudou Línguas e Literaturas na Universidade de Azad, onde foi também director e editor da Boomik, uma revista de cultura, política e social. Interessou-se pelo cinema logo após a conclusão da licenciatura, integrando o IYCS – Iranian Youth Cinema Society, de Teerão. Começou a trabalhar como produtor de programas de rádio e televisão com 22 anos, tendo já escrito e realizado quase 40 documentários.
Em 2008, mudou-se para Portugal, continuando aqui a sua carreira no cinema. Escreveu e realizou 4 curtas-metragens que foram exibidas em vários festivais internacionais de cinema e universidades, tendo sido premiadas em muitos deles.
“O Bebé” foi o filme vencedor do Prémio do Público no FESTin em 2013, e a sua mais recente curta, “A Estreia”, venceu 5 prémios no Lisbon 48 Hour Film Festival e rendeu-lhe a nomeação para o Prémio de Melhor Realizador no festival Filmapalooza, em 2016.
É, actualmente, director do Festival de Cinema de Arroios. Foi júri de festival internacional de Cinema de Joinville em 2017.

António Costa Valente
Doutorado em cinema, é docente nas Universidades Públicas de Aveiro, Vila Real e na ESAP. 
Produziu e co-realizou a primeira longa-metragem do cinema de animação português “Até ao Tecto do Mundo”.
Como realizador e produtor, foi distinguido com cerca de três centenas de prémios em festivais nos cinco continentes.
Director do Festival de Cinema AVANCA, desde 1997, integra os corpos gerentes da Academia Portuguesa de Cinema e Federação Portuguesa de Cineclubes, entre outros.

Francis Brosseron
Professor com experiência em todos os níveis de ensino, trabalha em Portugal desde o século passado. Verdadeira definição de polivalente, atuou como formador, gestor cultural, defensor e militante do modelo de Educação Popular, animador cultural, autor e realizador de projetos de animação socioculturais globais, conselheiro pedagógico, investidor e conferencista ocasional.
Desenvolveu projetos políticos, culturais, educativos e sociais, e é um verdadeiro autodidata. Cidadão frequentemente contrariado com o desperdício das possibilidades humanas, é o primeiro a colocar os planos em marcha e a fazer da teoria prática: recriar a utopia.

Latifa Said
Fotografia e Cinema sempre andaram de mãos dadas e o mesmo acontece com Latifa Said. Fotógrafa Profissional com formação pela EFET, expôs os seus trabalhos para algumas galerias, nomeadamente a 104, estabelecimento artístico da Câmara de Paris.
Trabalhou para a imprensa (Télégrama e GéoAdo), para a Liga Contra o Cancro e para a Câmara de Paris. Realizou duas curtas-metragens, “Jours Intranquilles” e “Terrain Vague”, e encontra-se, neste momento, a trabalhar na sua primeira longa-metragem.
A sua curta-metragem “Jours Intranquilles” foi selecionada para 20 festivais em todo o mundo e recebeu seis prémios. Já em 2017, com “Terrain Vague”, entrou em quarenta festivais nos cinco continentes e conta já com inúmeros prémios.